LiteraMix

#LiteraMix Meta de Leitura 2017

Olá, tudo bom?

Você deve estar se perguntando se é isso mesmo, ou se voltou no tempo. Mas sim, você não está lendo errado. Esse post é sobre meta de leitura 2017. Ainda. Por favor, ainda estamos em março, e dizem que o ano só começa depois do carnaval. Só fiz dar uma esticadinha porque nem curto carnaval. E em protesto a isso vou começar minha meta de leitura agora. Brincadeira, você pula seu carnaval ai (só se for de 2018 agora), que eu leio meus livros aqui e todo mundo fica em paz.

E na verdade este post é mais para registrar minha meta e mostrar pra vocês do que estar certa cronologicamente. Até porque eu não estou há três meses sem ler. Ao contrario, alguns dos livros que vou colocar aqui já estão lidos, mas ainda assim faço questão porque fizeram parte da minha meta. Ok? Ok.


Bloquinho dos livros que foram lidos. Esse primeiro ai da menina caindo é 1 – Temporada de Acidentes e tem um JPC dele aqui no blog. Fiquei muito feliz com a promoção que ele tava e consegui comprar por um preço ótimo. 2 – Por Lugares Incríveis, tem JPC aqui também (não deixa de ler. E em breve vai ter resenha desses dois livros aqui). Esse livro é bem jovem, que nem temporada de acidentes, que se passa em ambientes escolares. Todavia, estão longe de serem clichês. Valeram muito a leitura. E uma vertente totalmente oposta em “x” sentidos, 3 – Dez Formas de fazer um coração se derreter. Só suspiros por esse livro. É o segundo de uma trilogia. Eu tenho o primeiro graças a um sorteio em um evento de romances de época que fui e dei uma sorte grande. É bem adulto se comparado aos outros dois. E meu preferido também!


Romance de época é um caminho sem volta. Depois que você entra nessa não sai mais. É um vicio que não desejamos cura… Deu pra entender quanto eu amo o gênero? Por isso digo que é bom demais e, caso você seja facilmente conquistável por livros, é melhor se afastar deles. Julia é amor supremo. Como não amar a família Bridgerton? E em 4 – Os segredos de Colin Bridgerton não foi diferente. Acho que todos já estão cansados de ler a gente falando isso, mas a gente gosta muito. E o Colin me fisgou. Que homem! Simon vai ter que me dividir com ele, só lamento (entendedores entenderão). 5 – Conquistada por um Visconde, foi mais um livro de sorte e espero gostar porque ainda não li. Ganhei junto com outro livro de poesia num sorteio do Skoob (saudades ganhar livros). Mas ele tem tudo para me conquistar: capa bonita, gênero de época e é uma trilogia com outras capas maravilhosas. Ansiosa por essa leitura. 6 – Resposta Certa tá meio apagadinho ali porque ele já pertenceu à outra pessoa. Uma amiga. E ela resolveu dar para sorteio na nossa confraternização, ai eu ganhei. O autor é o mesmo de um livro que eu gosto muito, Um Dia. Agora também estou ansiosa pra ler esse.


Mesmo comprando 7 – O Presente do meu Grande Amor antes do Natal eu sabia que não ia conseguir ler logo. Primeiro, porque ia chegar depois já que essas coisas demoram a vir e segundo, porque não ia conseguir terminar mesmo se começasse. O preço dele estava tão barato que não tinha como eu não comprar um livro de mais de 300 páginas por 4 e pouco dinheiros. Mesmo que eu leia na época da páscoa não importa. Eu o queria só não lembrava, mas quando a promoção surgiu foi tudo perfeito. 8 – A Dama da Ilha na mesma confraternização onde ganhei o “Resposta Certa” ganhei esse que foi na troca de livros (nossa do jeito que eu falo parece até que ganho muitos livros, mas só parece mesmo). Outra leitura que tô ansiando pra conhecer, porque essa escritora é a favorita da minha amiga que foi dona dele. 9 – Prometida, livro spinoff da serie Perdida que eu ainda não li por sinal e nem tenho ainda. E como precisa da serie primeiro eu deveria colocar a mesma como meta, mas como ainda não comprei/ganhei vou deixar subentendido que está na minha meta também porque não deixa de ser verdade. E esse livro lindão ai está autografado. Eis o motivo de ele ser filho único e vir antes dos outros. Ele era o requisito para receber o autografo da Carina.


Bloquinho dos emprestados. Esses livros 10 – Um Mais Um e 11 – A garota que você deixou para trás não são meus e como já disse vou ler emprestado da minha prima. Bom, se ela não sabia agora tá sabendo, beijos. Quero muito ler esses dois livros que são super bem indicados da Jojo e preciso ler algo nesse estilo de romance. O 12 – Não se iluda, não quero ler, pois já li o primeiro e gostei bastante. É bom ler sobre relacionamentos e a Isabela conta tudo de um jeito muito divertido.


Essas são algumas das minhas metas do ano. Claro que tenho muito mais, mas por enquanto esses são os livros físicos que tenho comigo então vou me virando com eles que já estão de bom tamanho, não reclamo! E a sua meta como vai? Conta aqui e vamos papear!

Já seguiu as nossas redes sociais? Juro que é mais rápido que concluir uma meta de leitura:
#Facebook  #Instagram  #Twitter #Skoob #Wattpad #LuvBook
Wish Books

#WishBook Coleção de Sonhos

Hey, everyone!

Hoje vim falar do que um leitor mais faz na vida. Ler? Não. Sonhar acordado? Sim. Sonhar com os personagens? Não! Personagens não são sonhos, são pessoas reais em mundos reais que só pertencem a nós e se alguém disser o contrário nós faremos um cosplay só para provar.

Sonhamos mesmo é com aqueles livros lindos que não saíram ainda da estante da livraria. Aqueles que, masoquistas que somos, agarramos ao entrar na livraria e só largamos quando saímos, só para termos a sensação de que vamos levar, mas sabendo desde o início que não vai ser naquele dia. – Vai que você encontra uma brecha na segurança…não? ok. Também tem aqueles que você não encontra na sua cidade. E aí? Como faz para se iludir? Entra no site da livraria, coloca o livro no carrinho, vê o total (valor do livro + frete = os olhos da cara + seus amigos + seu irmão + sua alma) e aí cancela a compra. Prático e tecnológico com ilusão garantida.

Então, vamos à lista de livros que eu ando fazendo isso tudo que falei.

  1. No Seu Olhar – Nicholas Faíscas Sparks
Capturar
Créditos da foto:Instagram @minhadesordemperfeita

Esse livro traz personagens intensos, independentes – eu acho, né. Só li a sinopse – e traumatizados que se encontram em uma das cidades em que outros personagens do best Nicholas já viveram também. Aqui é tipo Disney, tá tudo interligado. Eles buscam por um recomeço, mas não combinam como casal. O que chamou mais atenção? Não é só mais um romance. É um thriller policial também e OMG, como eu preciso disso! Romance, thriller policial e Nicholas. Além da capa linda de morrer.

  1. Coleção “As Quatro Estações do Amor” – Lisa Kleypas
Sem gugug
Créditos da foto: http://www.porredelivros.com

Eu sempre me apego muito a séries, mas é um horror conseguir todos os livros *Vocês sabem.* Porém, fan de romances de época como sou não consigo escapar de desejar todos. Tenho alguma coleção completa? Não. Essa coleção conta a história de 4 –amigas e 1 vestido viajante – mulheres que se conheceram pelo fato de nunca serem tiradas para dançar nos bailes da sociedade da época. Então, elas fazem um pacto. Com o submundo? Não, entre elas mesmas. Elas irão ajudar umas às outras a encontrar um marido aceitável, começando pela mais velha.

  1. Os Bridgertons – Julia Quinn
hhhh
Créditos da foto: Instagram @dliterario

Terei a coleção algum dia? Sim. Talvez daqui a mais ou menos 84 anos. Nem preciso dizer o quanto amo essa série. Conta a história da família Bridgerton, composta pela diva Violet – mãe exemplar e linda – e 8 filhos lindos que fazem todos os outros personagens suspirarem. E nós também. Cada livro conta a história de amor de um filho. Violet é a mãe de 2 dos maridos literários mais desejados: Anthony meu favorito, não olha e Colin Bridgerton.

  1. O Quarteto das Smythe-Smiths – Julia Quinn
insta cronicas_de_eloise
Créditos da foto: Instagram @cronicas_de_eloise

Essa mulher só pode estar colocando substâncias questionáveis nas páginas dos livros, já que vicia tanto. Essa série – mais uma! Ó céus! – conta a história de um quarteto de meninas que aparece muito nos livros da série Os Bridgertons. Elas estão sempre tocando instrumentos horrivelmente, mas agora teremos a chance de conhecer a parte legal da vida delas.

  1. O Conde de Monte Cristo – Alexandre Dumas
www.gabibarbosa.com
Créditos da foto: http://www.gabibarbosa.com

A história é maravilhosa, mas como já disse aqui antes, nunca consegui uma versão em português. A única que vi online custava R$ 95,00. Babou É um romance com ação, vingança… Tudo super bem planejado. O Edmond Dantés sofre uma grande injustiça e é mandado para uma prisão em uma ilha por vários anos. Lá ele conhece um padre cheio dos paranauê e inteligente pra caramba que o ajuda e, ao fugir da prisão, ele volta para sua terra em busca de vingança. Detalhe: No filme, o filho da Mercedes – crush do Edmond –, Albert Mondego, é o Henry Cavill bem novinho. Isso mesmo, o atual Superman.

page

Claro que esses são apenas alguns livros que mais quero ter no momento. Não incluí a série A Seleção (Kiera Cass) mais pois – wait for it…! – eu comprei!!! Completei a coleção no Dia da Mulher, com a promoção de 50% da Saraiva. Glória!! Terei como pagar? Não. Caso alguém esteja precisando de alguém pra fazer uma faxina na casa pode me chamar. E caso alguém queira doar algum dos livros da lista para a pessoa que vos escreve… sinta-se livre também. Só estou avisando… não que eu queira pressionar ninguém… ok, bye!


Já seguiu as nossas redes sociais? Juro que é mais rápido que fazer sua própria lista dos mais desejados. Segue aí e conta pra gente quais livros percorrem seus sonhos:
#Facebook  #Instagram  #Twitter #Skoob #Wattpad #LuvBook
Resenhas

#Resenha Sinfonia Agridoce – Nicole Chaves

Primeira coisa que vou dizer é que: tenho uma amiga escritora. Sim! A Nicole, autora desse livro que vou resenhar, é nossa amiga e juntas fazemos parte do grupo de leitoras Damas Literárias (depois a gente conta mais sobre nosso grupo pra vocês).

Olha só uma curiosidade interessante da escritora: a Nicole também é administradora e junto com o amor pela escrita, criou um esquema só dela. Ela desenvolve o livro em 29 capítulos, ou como ela batizou The 29 Chapters. Muito diferentona, adorei isso.

Tá enrolei demais, mas é que não se pode falar muito do livro, já que ele é facilmente devorável e eu não vou dar pistas/spoiler aqui, porque ninguém quer isso. A principal informação do livro, o que faz a gente entender do que se trata o mesmo, é o grande diferencial dessa história. Pelo menos pra mim, mas você e eu somos diferentes, então só você lendo pra saber por que eu não vou detalhar nada aqui. Não, não!

Bom, se você gosta de música (se não gosta você é um ET) de um jeito que ela tá sempre na sua vida, te livrando de ouvir aquele barulho ou te distraindo do mundo, ou te iludindo fazendo você pensar que sua vida é uma trilha sonora tem que ler esse livro. Não que ele seja especificamente apenas sobre música, mas ela é a base de tudo e influencia muito as personagens (deixo no ar). E se você tá esperando algo romântico e meloso, sorry, mas canal errado. A história é ficção, e não tem nada de casalzinho. Então, ótima opção para quem quer experimentar um pouco outra temática e não ficar tão diabético.

A história conta o “despertar” da Echo (fala-se Eco mesmo, o h é charme) que já “nasce” jovem e sem muitas informações/lembranças de quem ela é e de sua história. Confesso que esse começo é confuso até a hora que esse despertar da Echo é explicado e tudo fica muito claro (rimou?). Mas, isso é bom porque faz você querer ler mais para entender o que que tá acontecendo.

Não sei se vai acontecer com você o mesmo que aconteceu comigo, mas nesse inicio eu pensei que a Echo fosse uma amiga imaginária da outra menina que sente conhecer de algum lugar. Ah, não falei muito dela porque a forma como a Echo se refere a ela é bem reveladora. Porém, essa guria é a principal responsável pela Echo. E é nesse momento que começamos a entender mais o que está acontecendo e o porquê de a relação entre as duas ser algo único.

A Echo aparece e some sem avisar, o que sempre faz sua amiga ficar triste quando ela some e surpresa quando ela aparece. Teve vezes, porém, que esses “sumiços” demoraram muito mais tempo que o normal. Tem uma explicação pra isso? Talvez a amiga e a música estejam envolvidas? Talvez. Nada tá muito claro ainda, afinal é só a “introdução” da história e, Nicole, espero muito que você lance logo a segunda parte da serie porque preciso saber mais.

Eu gostei muito dessa história, por vários motivos, mas posso dizer que, baseada na minha pouca experiência literária, ela já é boa o bastante para indicar a um amigo. And, nunca tinha visto história com essa originalidade, o que faz valer muito a pena essa leitura.

Resumindo: digamos que seja a materialização de uma relação pouco abordada no meio dos livros.


Galerinha do bem, o livro está disponível em e-book e pode ser adquirido pelo link abaixo:

Amazon: http://migre.me/whCJ9

E quem quiser saber mais sobre a escritora, a Nicole tem um site onde ela fala muito mais do que os seus livros. Têm cinema, música, até dicas de administração. É só acessar:

http://chavesnicole.com/

Já seguiu as nossas redes sociais? Juro que é mais rápido que ouvir Bitter Sweet Symphony do The Ferve:
#Facebook  #Instagram  #Twitter #Skoob #Wattpad #LuvBook
Resenhas

#Resenha Uma Curva no Tempo – Dani Atkins

Para começar já digo que esse livro não foi como eu esperava, mas isso não quer dizer que não tenha sido bom. Foi bom sim. Foi lindo. Foi surpreendente.

O que acontece sempre é que crio uma historia antecipada na minha cabeça. Bem, talvez isso seja culpa da sinopse, ou seja, para isso mesmo que ela existe. Ou pode ser culpa de como eu julgo a capa. Se você não tá entendendo leia o #JulgandoPelaCapa que você vai compreender.

ucnt

Seguinte, Uma Curva no Tempo é da autora Dani Atkins (saúde) e publicado pela Editora Arqueiro. Ganhei esse livro de uma amiga que participa de um grupo de leitoras que eu e a Lua estamos. Fizemos uma troca dos livros que já lemos e foi ele que eu levei para casa.

Esse livro conta a história da Rachel e seus amigos em dois momentos bastante diferentes. Podemos destacar o boy (bonitão e popular Matt, que não gostei muito), o friendzone (inseguro e fofo do Jimmy, que a gente começa a shippar) e a bff (amiga divertida e verdadeira. Mistura perfeita, né? Essa é a Sarah). A história começa quando eles e mais três outros amigos estão num restaurante para comemorar o término do colégio e a ida para a faculdade.

“(…) algumas amizades resistem a qualquer distância, separação e negligência mas outras pessoas, que eu pensara que sempre estariam em minha vida, pessoas importantes, de alguma forma haviam desaparecido.”

Papo vai e comida vem, acontece algo terrível: um carro desgovernado invade o restaurante, mais precisamente onde a turma estava celebrando.  WHAT?!? Nesse momento foi como se eu tivesse lá vendo tudo (ainda bem que não), até parei e respirei fundo.img_8502

E ai vem a noticia bombástica, que ninguém tá preparado (apesar de estar na sinopse): Jimmy acaba morrendo fatalmente nesse acidente porque ele salvou a Rachel (que ele ama e deu literalmente a vida por ela). Gente, ele foi corajoso num grau. Quem faria isso por outra pessoa? Claramente só quem ama demais. Ele foi um herói morto, mas herói. Bem trágico, não é? Até pior que Romeu e Julieta que pelo menos puderam aproveitar um tempinho juntos. Já o Jimmy no dia que ele criou coragem para dizer que amava a Rachel, o menino vai e mostra que a ama sem palavras e com uma atitude que foi definitiva pra ele, coitado. Poxa, Dani, ai você faz a gente chorar.

“Você acha mesmo que Jimmy ia querer isso para você? Vê-la sozinha? Pelo amor de Deus, Rachel, ele estava tão apaixonado por você que sacrificou a própria vida para salvar a sua!”

Bem, 5 anos depois do acidente os amigos vão se reencontrar para o casório da Sarah. Todo mundo mudou, literalmente. Rachel tem que viajar até a antiga cidade depois da tragédia (ainda um pouco traumatizada) para esse evento no fim de semana. Depois de encarar o ex-namorado com a atual namorada que era a antiga amiga (arqui-piriguete-rival) que também fez parte do grupo na adolescência e todas as lembranças que a cidade trás de Jimmy, Rachel fica maluca precisando ir até ele. E onde é o único lugar que ele pode estar? No cemitério. E é lá que ela se mete no meio da noite/madrugada.

“Eu precisava dele agora, nesse momento, mais do que nunca; ouvir sua voz, ver aquele sorriso que estava sempre em seus olhos ao se voltarem para mim.”

E a partir dai tudo muda e fica confuso. Tanto para ela quanto para nós. Calma, vou tentar explicar.

Ela desmaia *ploft* e quando acorda *tcharam* tudo mudou! Tá, isso não pode ter explicado muito, porém  ainda tem mais. Jimmy está vivo! WHAT?!? Mas, como? A gente pira e os miolos bugam de vez! (E NÃO é spoiler, tá na sinopse, juro). Mas, vamos comemorar, né?! Esperança pra ela e pra ele, UHUU!  \o/

Não, não vai acontecer. Sabe por que? Porque ela tá noiva do Matt. Pasmem! E não para por ai: o pai dela não está como antes, ela tem tudo o que sempre sonhou e que antes de “desmaiar” feito a bela adormecida (que no caso dormiu, mas vamos fingir que ela desmaiou) não tinha conseguido… And ela não se lembra de nada desse novo presente em que está.

“(…) enfim descobri a única vantagem de ter amnésia (…) não havia arrependimento quando não estávamos deixando nenhuma recordação para trás.”

Não seria essa sua segunda chance? Aceita o presente, agarra ele e não larga mais. Só que esta perfeição, vida ideal, é bem angustiante visto que ela não se lembra de como tudo mudou daquele jeito. Dormiu demais? Tá sonhando? Viajou pra outro planeta? E nesse dilema ela fica sem saber o que quer: uma vida que ela lembra e tinha muito sofrimento? Ou uma vida que não fazia muito sentido apesar de estar tudo as mil maravilhas? Difícil escolha, né?

Mas, afinal será que Rachel tem escolha? Opa, levantei muitos questionamentos, mas você só vai conseguir responder todos eles lendo esse livro.

E, agora você pergunta (ou não, voce não é obrigado a nada, já entendi): Como esse livro me surpreendeu? E agora eu digo de uma vez: Houve essa grande reviravolta que fez eu me sentir imersa na bipolaridade, já que foi um tanto trágico e reconfortante ao mesmo tempo. Não teve o desfecho que eu queria no início, mas me deu bons motivos para aceitar o que me foi dado.

Espero que gostem dele e da lição final (realmente, depois de tantas questões a lição vai tá mais do que feita). Ahh, e é um livro bem humorado, dá pra rir também.

“Ele estava medindo a minha sanidade? Pessoas loucas não tomam chá?”


Já seguiu as nossas redes sociais? Juro que é mais rápido que dar uma curva na estrada:
#Facebook  #Instagram  #Twitter #Skoob #Wattpad #LuvBook
Julgando Pela Capa

#JPC Por Lugares Incríveis – Jennifer Niven

por_lugares_incriveis

Gente mais um livro com esse tom de verde que eu amo. Tá na moda mesmo, viu como entendo de cores? Eu amo cores e essa capa é bem colorida perceba.

Olha tenho que confessar que já julguei essa capa na livraria por uns 1 segundos antes mesmo de pensar em ter um blog que teria como uma categoria julgar as capas dos livros e que ainda por cima um desses livros viria a ser logo aquele que já tinha “desprezado” uma vez. (só se eu fosse profeta para pensar em tudo isso tanto tempo atrás).

E você pergunta (ou não) oque você pensou sobre ele durante aqueles 10 segundos? Calma, eu já ia dizer. Eu pensei que era um livro infantil. Sim, isso mesmo você está lendo certo. Isso por causa desses blocos/peças de montar que são brinquedos de crianças. Bem, se você não sabia disso provavelmente não tem contato com crianças, ou nunca tenha sido uma. Tá, parei (essa expressão é tão Orkut).

Entre outros elementos como as nuvens de papel (um dia me disseram que as nuvens não eram de algodão. Tai a prova! Quem falou cantando comenta aqui!). E os bonequinhos que parecem ser feitos de lápis, caneta, carvão… Tudo tem uma atmosfera bem infantil e foi ai que não me interessei. Mas num parece gente? Diga-me que não sou a punica a pensar assim… E eu ainda não li vai que não estou errada e é mesmo infantil?

Ate que o interesse voltou quando eu soube do evento onde a autora iria autografar o mesmo e claro que eu fui ne? Perder a chance de conhecer uma escritora internacional e dar uma chance de entender melhor o livro e ainda ter um livro autografado, meu primeiro livro com um autografo. Nem que eu fosse insana. Ah, e lembra que o meu livro “Cartas de Amor aos mortos” também é autografado? (chegou aqui e você não tá entendo do que estou falando clique aqui), pois então elas são bffs e estavam autografando junto Brasil afora. E poxa a autora é um amor, queria guardar ela dentro de livro e protege-la.

Voltando a capa e com novos olhos (depois desse evento) e com base na sinopse me parece ser uma boa historia, acredito que seja juvenil (na resenha teremos certeza) e que eu vou chorar com certeza: A menina e o menino no alto dos prédios, que parece ser uma escola, isso está muito claro pela sinopse também. Ele parece que pulou e está voando, ou como uma fotografia ele congelou ali. E se sente livre, claro que não vemos a cara de desespero (se fosse eu no caso), mas é o que parece. Já a menina está com os pés no “chão” e aponta para ele como se quisesse ajuda-lo ou salva-lo. Só que não há desespero (mais uma vez haveria se fosse eu). Talvez isso se deva porque eles vão um de encontro ao outro e vai estar tudo bem.

Seria amor? Amizade? Um me deixa ler que volto pra te contar. E espero que eles fiquem com os pés nos chão. Entendeu o que eu quis dizer? Pelo menos é o que eu espero desse livro.

Por Téh


Já seguiu as nossas redes sociais? Juro que é mais rápido que montar esse quebra-cabeça:
#Facebook  #Instagram  #Twitter #Skoob #Wattpad #LuvBook
Resenhas

#Resenha As Aventuras de Um Jovem Chamado Adriano Ferreira – Adriano Ferreira

Quero saber quem aí não foi serelepe no tempo da escola. Nós aqui do blog estudamos juntas e até hoje muita coisa ficou marcada. Eu era dessas que tirava a cadeira da fila, levava lá para frente onde a Téh sentava e passávamos a aula conversando – e então um belo dia eu tentei levar essa cadeira e caí com a dita cuja em cima de um menino e não consegui levantar até que a sala inteira estava me aplaudindo e dando parabéns pela cena. Ou seja, também foi lá que eu e a Téh nos conhecemos e viramos amigas até hoje.

O que isso tem a ver com o post? Certamente não vou postar minha biografia aqui. Mas, o Adriano Ferreira publicou algumas de suas experiências nesse período tão bagunçado da nossa vida que foi a escola. Autor do livro As Aventuras de um Jovem Chamado Adriano Ferreira – ele mesmo, prazer – nós podemos viver essas memórias e lembrar as nossas próprias. O livro está à venda em formato e-book no link que deixaremos no fim do post.

As Aventuras de um Jovem Chamado Adriano Ferreira - Capa

A história começa com um acontecimento engraçado que o Adriano passou: uma mentira improvisada que criou pernas e saiu andando e correndo pela cidade – porque se não fosse pra complicar assim não seria a vida de um aluno, né?! – Podemos ver o problema que ele se meteu e a prova de que a mentira pode até ter pernas, mas elas são curtas. No decorrer do livro esse episodio é contado aos poucos, enquanto o autor pega atalhos para contar outras experiências engraçadas que teve durante aquele período.

Durante a leitura pude me identificar muito com o protagonista – bate aqui, Adriano!! – já que ele sonhava em viajar e se apaixonou cedo por idiomas estrangeiros. Além disso, as situações descritas nos fazem reviver aqueles anos de uma forma muito vívida. Era um aluno comum tentando dar o seu melhor e se divertir enquanto era perseguido pela Lei de Murphy – se algo tá errado, vai piorar – . A história intercala momentos cotidianos com situações divertidas e resoluções feitas por ele na época. Mas, a forma como tudo é contado é muito fluída, ele realmente estabelece uma conversa bem informal com o leitor. É como bater altos papos com o autor. Terminamos o livro e nos tornamos best friends.

Também gostei dos valores passados durante a leitura. Ele mostra a importância de se esforçar para se ter o que quer – bora correr atrás, minha gente! – e os amigos e professores conhecidos nessa época são sempre valorizados. É uma fase que você não vê a hora de acabar, mas que quando acaba você só se lembra das coisas boas – cérebro traiçoeiro – e o melhor é que pode se divertir com elas. Ou seja, nos tornamos bipolares por causa da escola.

Fiquei curiosa para saber mais sobre o caso principal – como que o Adriano saiu da situação em que se meteu – e foi legal ver onde o Adriano começou e onde ele foi parar. Isso me prendeu. Até porque a leitura é leve, focada em coisas positivas e engraçadas – e claro, eu estava sempre anotando as dicas… que foi? Nunca se sabe! Ah, só para lembrar: é tudo fato real! O que é um milagre, já que histórias reais costumam me deixar desidratada de chorar enquanto aqui só pude rir.

Por Lua


Para comprar o livro:
Amazon: http://goo.gl/2K7j0H
Saraiva: https://goo.gl/MkgcmR
Kobo: https://goo.gl/IFD7iv
Hotmart: https://goo.gl/cWuujU
Para quem quiser conhecer e acompanhar o autor:

thumbnail_adriano-ferreira-autor

Blog: https://goo.gl/zvrQyh
Instagram: https://goo.gl/Tx64du
Twitter: https://goo.gl/xm2NRW

Já seguiu as nossas redes sociais? Juro que é mais rápido que contar uma mentira:
#Facebook  #Instagram  #Twitter #Skoob #Wattpad #LuvBook
Resenhas

#Resenha Mil Dias Em Veneza – Marlena de Blasi

Hello!

(Não consigo começar um post com outra palavra, sorry pessoas inovadoras.)

Planejei ler o livro Mil Dias em Veneza da Marlena de Blasi (Edição da Sextante) achando que teria a sensação de férias de verão na Califórnia. Eu estava fazendo isso errado, bem errado. Pra começar fiquei doente, então não saí do quarto todo esse recesso que fizemos. Nada de Califórnia ou sequer a esquina de casa.

mil-dias-kl

Pra continuar, a leitura não fluiu para mim. Sabe o que é você passar dois meses pra conseguir ler 100 páginas? Eu sei. Aconteceu.

Em toda minha vida só abandonei livro 2 vezes. Se começo quero terminar, já falei pra vocês dessa minha teimosia. Não abandonei esse livro por completo mas pulei várias partes e vou aqui fazer uma resenha enumerada para vocês entenderem por que fiz isso:

1. O livro é bem reflexivo. Amo frases lindas e o livro tem muitas dessas. Muitas. Tem demais. DEMAIS. Eu tava entrando em deprê e não quis me dar à esse luxo.

“Eu me apaixonei por você, não à primeira vista, porque só vi um pedaço do seu rosto. Para mim foi amor à meia vista. Foi o suficiente. E não ligo se você achar que sou louco.” (Eu acharia. Na verdade, fugiria correndo de mãos dadas com Usain Bolt.)

160815202407-usain-bolt-smiles-jeanne-moos-pkg-large-169

“…não me apaixono nem à primeira vista, nem à meia vista, nem com facilidade nem com o tempo. Meu coração está simplesmente enferrujado por causa das velhas engrenagens que o mantêm fechado.” (Não pareceu ser bem assim. Você se mudou pra Veneza pra casar num piscar de olhos, senhora.)

“…aprendi a querer o que ele queria. E, com o tempo, fui acumulando sobre meus olhos camadas e mais camadas de uma atadura quase transparente que cobria meus sonhos.”

 “Ele tem a voz de um menino contando segredos.” 

“Muitas vezes nós que não deixamos a vida ser simples.”

2. Não entendi como a personagem era. Sei que ela tinha meia idade, chefe de cozinha, dois filhos adultos e conheceu um veneziano. Mas, queria aprofundar mais. Sentir a personagem viva. (Eu sei… por ser uma biografia a protagonista está mais viva do que qualquer outra dutante a história, mas vocês entenderam LoL)

3. Maior parte do livro o cara veneziano é um quase estranho. E é assim que ela se refere à ele: O Estranho. Mais um personagem distante.

4. Não senti o clima entre eles. De repente eles se conhecem e quando você percebe ela já está se mudando para Veneza para casar com o estranho no capítulo 3. Não entendi o que fez um amar o outro e nem o que realmente sentiam. Acredito que por ter sido real não tem os grandes dramas comuns da ficção. Mas, eu gostaria de me sentir mais envolvida já que tive a sensação de estar acompanhando à distância.

5. É cheio de nomes em francês, frases em italiano e comparações até bizarras. Sabe o cheiro de ovelhas nas chuva?  Alguém aí com vontade de comer scaloni, enchalota tagliatelle ou alcachofras fritas? Não eu.

6. A história conta a mudança da nossa protagonista para Veneza para se casar com um veneziano estranho (Dr. STRANGE) e é isso. Não tem exatamente um clímax. É uma biografia em primeira pessoa onde ela vai contando alguns fatos e refletindo nas mudanças da vida.mil-dias-k

Minha primeira resenha numerada não tem a intenção de menosprezar o livro. Como falei, tem frases lindíssimas. Para quem quer algo leve vai fundo, sem medo de ser feliz.

Mas, para mim não foi algo que me prendeu (nem sequer consegui ler na íntegra pois tinha muita descrição, o que me deixou cansadinha). Era aquela sensação de preguiça sem fim o tempo inteiro.

Como somos pessoas diferentes pode ser que você curta a leitura em algum momento da vida. Não aconteceu comigo, mas se acontecer com vocês aproveitem e depois me contem!

E só mais uma coisa… a história começa em 1993. Espere ler sobre ligações para o telefone do restaurante em vez de celulares.

Por Lua


Já seguiu as nossas redes sociais? Juro que é mais rápido que casar com um veneziano.:
#Facebook  #Instagram  #Twitter #Skoob #Wattpad #LuvBook