Resenhas

#Resenha É Inverno – Cecília Mouta

Aqui estou eu de volta para falar sobre o livro “É Inverno”, da autora Cecília Mouta – carioca, publicitária, e arrasadora no quesito escrita. O livro foi publicado pela Editora Chiado e chegou às nossas mãozinhas através do Correio da agência Oasys Cultural.

Primeiro: SOLTEM OS BALÕES, FOGOS E CONFETE PORQUE EU ACERTEI QUASE TUDO SOBRE ESSE LIVRO NO JULGANDO PELA CAPA!! ~palmas também~ Só errei a parte que eles assam marshmallows em uma fogueira na neve… eles não fazem isso. (Ainda não leu o #JPC? Clica aqui então!)
Vamos dividir o livro em 2 partes. Izzy, uma garotinha de 9 anos, é a protagonista dessa história. Ela tem 3 melhores amigos – Lil, Matt e Sam. Na parte 1 do livro, os 4 vivem uma infância plena, com as preocupações típicas de crianças, como observar a neve cair por horas – senti inveja disso – ou tentar se atrasar para uma aula de propósito e falhar. Tudo muda quando Lil tem um pesadelo que se torna realidade e marca a vida de todos. A partir daí as 3 crianças enfrentam um drama doloroso que envolve a vida do coleguinha Sam. A amizade, as promessas e a força deles são colocadas à prova.

A parte 2 do livro traz um salto no tempo – que eu amei – e Izzy tem quase 18 anos. Ela e Lil são líderes de torcida e mandam em tudo. A amizade das duas estava acima de qualquer coisa ou pessoa. Elas apoiam uma à outra, se divertem e zoam a cara uma da outra – porque se não for para fazer isso nem adianta ter melhor amiga, ok? Elas eram lindas, ricas e rainhas e não têm mais nada de inocentes. Até que o passado volta para mexer com a vida celestial que Izzy construiu. Memórias, promessas, aparições e desaparecimentos mexem com o juízo da nossa querida protagonista – e com o nosso – e o motivo disso é chocante.

Eu achei a leitura lenta no início, porém com muitas lições. O tipo de leitura que eu gosto de apreciar sem pressa. Izzy tem pensamentos inocentes, puros e sinceros e faz reflexões sobre as coisas simples que estão ao seu redor. A escrita fluída da autora faz a gente parar e pensar no que vai se perdendo ou mudando ao longo da vida. Mas, nem tudo é floco de neve: tem suspense e drama. Foi muito envolvente, me senti dentro da história.

O salto no tempo dá um alívio, uma sensação de vida nova. Mas, na verdade, era só uma pausa para tomar fôlego, pois a autora quis mesmo brincar com nossos sentimentos, e aí jogou uma bomba enorme. É o tipo de história que você lê inteira sob um ponto de vista, e daí o mundo vira de cabeça pra baixo, te mostra que nada é como você pensava e aí te deixa lá pendurado e sem saber o que fazer. Resumindo: O ângulo muda e muito. A perspectiva real era uma que eu nem podia imaginar.

“É Inverno” traz lições de amizade, amor e perdas com bastante suspense e drama. O prêmio de melhor poeta do livro vai para o pai de Izzy que sempre aparecia com umas frases dignas de status; e o de melhor mantedora de spoiller vai para Lil por nunca revelar os sonhos antes da hora e quase causar ataques cardíacos em mim por isso.

Quer comprar o livro? Clica aqui: É Inverno – Cecília Mouta

Por Lua


Já seguiu as nossas redes sociais? Tá esperando o que, jovem? :
#Facebook  #Instagram  #Twitter #Skoob #Wattpad #LuvBook
Resenhas

#Resenha A Outra Face – Sidney Sheldon

Oi, oie! Depois de um hiato sem aviso prévio, as resenhas estão de volta. O livro de hoje é A Outra Face de Sidney Sheldon, publicado pela editora Record. Cometi a maior gafe achando que o autor era na verdade autora. Sim, não me pergunte por que, mas isso ficou impregnado na minha mente desde a primeira vez q ouvi uma amiga falando dos seus livros.

Acredito que esse tenha sido o livro mais barato que já comprei na vida 6,90. Então aproveitei a indicação e o preço, útil ao agradável. E vou contar um segredo pra vocês, mas fica só entre nós… Eu acabei recebendo dois invés de um. Sim, a Saraiva foi muito bacana comigo. O gênero é um dos meus preferidos, Romance Policial. Eu sou fã da Agatha por isso esperei algo semelhante agora do ponto de vista masculino.

A história fala da fase na vida do psicanalista Judd, em que acontecem assassinatos a sua volta. Ele imagina que poderia ter envolvimento dos seus pacientes, e no decorrer de alguns dias ele se vê encurralado achando que será o próximo da lista, mas não consegue pensar em um motivo. Já do outro lado a Policia que investiga os crimes veem ele como principal suspeito, afinal ele era a ligação entre os dois que foram brutalmente assassinados. Quem estará certo afinal?

A vida é um fio muito fino. Basta uma fração de segundo para rompê-lo.

A história se desenvolve bem e no final de cada capitulo tem um exato momento de suspense intenso que lhe obriga a ir para o próximo capitulo só pelo fato de não conseguir ficar com aquele mistério encoberto. Às vezes isso me dava raiva porque eu dizia que seria o ultimo capitulo da noite, mas eu simplesmente não conseguia parar de ler. Quem sempre?

São apenas 239 páginas, fácil leitura e o tempero do suspense faz você devorar as páginas ainda mais rápido. E foi boa experiência, apesar do autor ser exagerado em seus suspenses (o que era bom) e muito obvio em certas partes, o que se tornou previsível. Ao longo do drama tem pistas sobre quem é o assassino e eu acertei. Acredito que tenha sido um motivo por ter gostado, porque eu estava certa – risada maligna. Apesar de ser bom descobrir, acredito que foi um pouco/bastante obvio. Enfim, já estou formada em crimes pelas inúmeras historias de Agatha Rainha Christie.

Por Téh


Acompanhe nossas redes sociais:
#Facebook  #Instagram  #Twitter #Skoob #Wattpad #LuvBook